Licenciosidades

Qualquer bocadinho acrescenta, disse o rato, e mijou no mar.

"Não é da bondade do homem do talho, do cervejeiro ou do padeiro que podemos esperar o nosso jantar, mas da consideração em que eles têm o seu próprio interesse. Apelamos, não para a sua humanidade, mas para o seu egoísmo, e nunca lhes falamos das nossas necessidades, mas das suas vantagens"

Adam Smith (1776), Riqueza das Nações

segunda-feira, junho 20, 2005

Jogos politicos

Post nao aconselhado a quem nao goste de posts longos, de economia em geral e de cinismo em particular.


Para quem nao estiver familiarizado com a teoria dos jogos, ver aqui

Este post visa utilizar a teoria dos jogos de John Nash para provar a racionalidade das atitudes populistas dos partidos. Modelo aberto a criticas.

Neste caso concreto temos 2 jogadores, o partido de governo e da oposicao. Ambos tentam maximizar o seu bem estar individual adoptando uma atitude competente ou demagogica.

Pressupostos:
- Politicas populistas sao diametralmente opostas a politicas competentes, sendo que as ultimas sao beneficas para o pais.
- Uma atitude populista faz com que o partido que as toma ganhe votos e atitudes competentes que perca.
- Os elementos de um partido obtem beneficio de duas formas: estando no poder, por via do dinheiro e prestigio que obtem; e pelo progresso do pais, de que beneficiam tal como todos os outros portugueses,
- O beneficio pessoal que obtem por estarem no poder e 4 vezes superior ao beneficio pessoal que obtem pelo desenvolvimento do pais (parece-me evidente que esta relacao e muito superior, talvez 1000 para 1, mas, por simplificacao, optei por esta). Assim sendo serao atribuidos 4 pontos de beneficio ao partido que conseguir obter o poder e 1 ponto de beneficio a todos os participantes caso o partido de governo opte por politicas competentes.
- Caso ambos os partidos optem por uma atitude populista, a probabilidade de cada um deles ganhar as proximas eleicoes e de 50%.

Neste jogo temos 4 solucoes possiveis.
Se o partido da oposicao optar por ter uma atitude populista, o partido de governo pode responder na mesma moeda e disputar o poder nas proximas eleicoes. Neste caso o beneficio esperado sera de 2 para ambos os partidos (probabilidade de 50% sobre a obtencao dos 4 pontos do poder). Se o partido de governo optar por responder com atitudes competentes, anti-demagogicas, ira certamente perder as proximas eleicoes mas todos saem beneficiados com 1 ponto por via do desenvolvimento do pais. Neste caso o partido da oposicao obtera os 4 pontos de poder + 1 ponto pelo desenvolvimento do pais e o partido de governo obtera este ultimo ponto.
Por outro lado, se o partido da oposicao optar por uma atitude competente podemos obter dois cenarios:
- o partido de governo pode optar por uma atitude populista e obter o poder nas proximas eleicoes. Neste caso o beneficio do partido da oposicao e nulo.
- o partido de governo optar por uma atitude competente, conseguindo ganhar as eleicoes por via do desenvolvimento economico que criou (e por falta de oposicao que, neste caso, teria concordado com todas as medidas do governo) e ainda beneficiaria do desenvolvimento do pais. O partido da oposicao apenas beneficiaria do desenvolvimento do pais.
Os resultados possiveis deste jogo estao representados no quadro abaixo:



Os valores a esquerda representam o beneficio retirado pela oposicao e os valores a direita o beneficio retirado pelo governo. Quem estiver familiarizado com a teoria dos jogos (ou com a realidade politica portuguesa) sabera ja qual a solucao final. Vejamos entao qual sera a atitude de cada um dos partidos.
Os elementos do Partido da oposicao olham para as suas possibilidades e analisam:
- se o governo for competente, eu beneficio pelo progresso do pais qualquer que seja a minha atitude. Mas se eu for populista ainda beneficio mais por ganhar as proximas eleicoes;
- ja se o governo for populista eu nao beneficio nada em ser competente porque perco as eleicoes e o pais nao se desenvolve de qualquer forma. E preferivel ser populista e disputar o poder.
Resultado, qualquer que seja a atitude do governo, a melhor decisao para a oposicao e ser populista.
Por seu turno, o partido de governo reconhece rapidamente qual a atitude preferivel para a oposicao (ate porque tambem ja passou por la) e toma a sua decisao:
- se eu for competente beneficio pelo progresso do pais mas perco as proximas eleicoes certamente. Se for populista posso ainda disputar o poder nas proximas eleicoes ainda que nao beneficie pelo progresso do pais.

O resultado deste jogo e entao que ambos os partidos optam por atitudes populistas disputando o poder eleicao atras de eleicao (2,2). Fica entao demonstrado o porque de algo que e evidente para todos. As atitudes populistas tanto de governo como de oposicao sao atitudes racionais de agentes que procuram maximizar o seu bem estar individual.

Solucoes:
- Acabar com a democracia e o sistema de eleicoes para impedir a necessidade de politicas populistas.
- Uma maior educacao dos cidadaos para poderem julgar os politicos pela competencia e nao pelo populismo das suas ideias(videm caso Suica).
- Aumentar de alguma forma o beneficio retirado pelo partido do poder resultante do desenvolvimento do pais.
- Conluio entre os partidos de governo e oposicao para partilha de poder com tomada de medidas competentes, solucao ja antes adoptada em Portugal naturalmente instavel (videm caso Bloco Central).
- Guardar os livros de economia, comprar um pack de cerveja, 1 kg de tremocos e sentar-se toda a tarde em frente a televisao.

Aceitam-se mais solucoes.
Este post e populista.