Licenciosidades

Qualquer bocadinho acrescenta, disse o rato, e mijou no mar.

"Não é da bondade do homem do talho, do cervejeiro ou do padeiro que podemos esperar o nosso jantar, mas da consideração em que eles têm o seu próprio interesse. Apelamos, não para a sua humanidade, mas para o seu egoísmo, e nunca lhes falamos das nossas necessidades, mas das suas vantagens"

Adam Smith (1776), Riqueza das Nações

sexta-feira, setembro 30, 2005

Oliveira Marques

Há um ano e meio, estando eu a passar uma temporada em Izmir na Turquia, recebi uma visita especial. Essa visita especial era o Professor Oliveira Marques que se tinha deslocado ali, pagando tudo do seu próprio bolso para estudar o sistema de metro da cidade, considerado exemplar. Falou-me com um brilho nos olhos da abertura da primeira linha do metro entre a Campanhã e o estádio do Dragão, de como tudo era novo, de como as pessoas compravam um bilhete e andavam de estação em estação sem nunca saírem, das romarias ao metro, enfim, da alegria das pessoas por terem, finalmente, o metro no Porto.
Muitas vezes se coloca em causa a capacidade dos gestores públicos. Tal nunca aconteceu com o Professor que geriu sempre com tremendo êxito os organismos públicos à sua responsabilidade. Aparentemente, a sua permanência no metro do Porto terminou. Lamento muito e ficarei a aguardar explicações para a demissão.