Licenciosidades

Qualquer bocadinho acrescenta, disse o rato, e mijou no mar.

"Não é da bondade do homem do talho, do cervejeiro ou do padeiro que podemos esperar o nosso jantar, mas da consideração em que eles têm o seu próprio interesse. Apelamos, não para a sua humanidade, mas para o seu egoísmo, e nunca lhes falamos das nossas necessidades, mas das suas vantagens"

Adam Smith (1776), Riqueza das Nações

segunda-feira, outubro 24, 2005

Post xenófobo

Não entendo esta fleuma toda em torno da possível legalização da prostituição em Portugal. Há muitos anos que as mulheres brasileiras acham que prostituir-se em Portugal é "muito legal!".

9 boas festas:

  • Acho que sim, a prostituição é sempre muito legal, para homens e mulheres. Até já ouvi dizer que o IEFP está a pensar criar uns cursos de especialização na área para desempregados há mais de 18 meses, porque é emprego garantido: a procura deste tipo de serviço mantém-se em alta. Sou completamente a favor da legalização porque acho que é uma tarefa altamente dignificante; e imagino o que será uma discussão de miúdos na escola, em vez do tradicional o meu pai é bombeiro, mas o meu é polícia, mas o meu é chefe da polícia, etc... Agora será, "o meu pai prostitui-se com carteira profissional", "sim mas a minha mãe não só tem carteira profissional, como está integrada numa empresa de prestação de serviços sexuais, com gabinete e tudo", "ah, mas a minha é chefe do deparmento da tua mãe", "pois, mas a minha é dona da empresa da prostituição, "ah, ah, mas o meu pai não só as fode a todas e a todos, como é dono de uma cadeia internacional desses serviços".
    Desculpa, Karloos, mas tu consegues sempre puxar pelo melhor que existe em mim!

    By Blogger Isabela, at segunda-feira, outubro 24, 2005 1:48:00 da tarde  

  • AHAH mto boa piada! ;)
    É o vale tudo para conseguir arrecadar mais receitas para o Estado! Será que os recibos também vão ser enviados por correio para o(a)s esposo(a)s traídos? Ou será que deixará de ser traição por passar a ser legal?

    By Blogger D. S., at segunda-feira, outubro 24, 2005 8:29:00 da tarde  

  • Isabela:
    A prostituição não é crime (para que se saiba). A legalização de que se fala será o reconhecimento da dignidade das pessoas que se prostituem. Portanto legalizar significa dignificar as pessoas, não a 'profissão'. Claro que passar ao lado e achar que são os pais dos outros, os conjuges dos outros, os filhos dos outros que frequentam prostitutas(os) é sempre uma solução.
    Negar a prostituição é negar cuidados de saúde, é contribuir para uma sociedade doente.
    Presumo assim que doentes, drogadas e fodidas na rua é que é!
    Antes do recibo verde ou azul estará a saúde pública, a pessoa humana, a sociedade que apanha com elas/eles nas ruas e por aí fora.

    Anseio pelo dia em que se pensará na contribuição fiscal da prostituição. Será o sinal de que tudo o resto já foi acautelado. Se nessa altura ainda o não foi, então sim, sou contra.

    Óh Karloos desculpa lá este pastel, hoje deu-me p'ráqui.

    By Blogger Turno da Noite, at quarta-feira, outubro 26, 2005 11:12:00 da tarde  

  • O mundo está, de facto, longe de ser perfeito.

    By Blogger Turno da Noite, at quarta-feira, outubro 26, 2005 11:14:00 da tarde  

  • Eu gosto é de pasteis.

    By Blogger CGP, at quinta-feira, outubro 27, 2005 7:38:00 da tarde  

  • jos - O mundo não é de facto perfeito para quem faz o turno: o da noite ou o do dia. O turno não é digno, e nada, meu amigo, nunca, dignificará o turno.

    By Blogger Isabela, at sexta-feira, outubro 28, 2005 2:36:00 da manhã  

  • You have an outstanding good and well structured site. I enjoyed browsing through it
    »

    By Anonymous Anónimo, at sexta-feira, novembro 24, 2006 7:11:00 da tarde  

  • I have been looking for sites like this for a long time. Thank you! » » »

    By Anonymous Anónimo, at domingo, março 04, 2007 10:20:00 da tarde  

  • Enjoyed a lot! film editing schools

    By Anonymous Anónimo, at sábado, março 17, 2007 3:49:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home