Licenciosidades

Qualquer bocadinho acrescenta, disse o rato, e mijou no mar.

"Não é da bondade do homem do talho, do cervejeiro ou do padeiro que podemos esperar o nosso jantar, mas da consideração em que eles têm o seu próprio interesse. Apelamos, não para a sua humanidade, mas para o seu egoísmo, e nunca lhes falamos das nossas necessidades, mas das suas vantagens"

Adam Smith (1776), Riqueza das Nações

quinta-feira, novembro 17, 2005

Falemos do passado então

No ano 2000, Mário Soares candidatava-se ao parlamento europeu, perdão, à presidência do parlamento europeu que um senhor como aqueles não poderia aspirar a menos. Portugal votou em peso no ex-presidente. O orgulho nacional era enorme. Portugal preparava-se para ter um presidente do parlamento europeu.
Correu mal. O PPE ganhou as eleições e resolveu que o senhor Mário Soares não merecia ser presidente do parlamento europeu e elegeu a senhora Nicole Fontaine para o cargo. À saída da votação, Mário Soares, com todo o fair-play do mundo, elogiou a senhora. Disse ele: “Essa senhora daria uma excelente dona de casa”. Nada como um bom cavalheiro latino para realçar as qualidades de uma senhora. Deve ter sido através destas demonstrações de gentileza que Soares conseguiu seduzir a bloquista Joana Dias para sua mandatária para a juventude.

6 boas festas:

  • Está bem, pronto, tens razão, leva lá a bicicleta! Estás a ver como sabes falar-me ao coração?!
    Pronto, pronto... mete lá isto no eleito, se ainda não meteste, que convém lembrar estes pormaiores! Mas não te esqueças de meter também os do teu amiguinho "Zé Maria"!
    E não tens nada que andar zangado comigo por causa da política porque eu gosto de ti mesmo sendo tu monárquico... (controla-te, Isabela...), portanto, temos de ser uns para os outros...

    By Blogger Isabela, at quinta-feira, novembro 17, 2005 2:07:00 da manhã  

  • Eu sabia que estavas lixado comigo! Que mau feitio. És homem! Filosofar para quê?

    By Blogger Isabela, at quinta-feira, novembro 17, 2005 2:08:00 da manhã  

  • Eu lembro-me dessa frase, o filho-da-mãe... hein? Tens toda a razão. Temos de lembrar a Joana Amaral Dias dessa frase! Bem, agora já não há nada a fazer. Mas eu gostava mesmo que a Joana lesse isto.

    By Blogger Isabela, at quinta-feira, novembro 17, 2005 2:11:00 da manhã  

  • Zangado? Nada disso. Por acaso pensei em ti, e no teu pseudo-apoio a Soares, quando escrevi isto, mas apenas porque o post mostrava uma face em Soares que não deverias gostar.
    Este post tem mais a ver com as referências permanentes da Joana Dias aos confrontos na ponte 25 de Abril na altura em que o governo de Cavaco decidiu subir o valor da portagem em 25 cêntimos (liderado na altura pelos irmãos Pinto que estão hoje com uma pena de 15 anos de cadeia por trâfico de droga; deviam ser do bloco). 25 cêntimos vâ lá tu, num valor que o mesmo senhor tinha decidido congelar 5 anos...
    Como vês, pensei em ti quando escrevi o post mas não foi a pensar em ti que o escrevi. Mais logo escreverei um pensando em ti. Jamais me zangaria contigo, e, já agora, com qualquer pessoa, por questões políticas. Pela forma como escreves até podias ser apoiante do Paulo Portas que pouco me importaria.

    By Blogger CGP, at quinta-feira, novembro 17, 2005 1:20:00 da tarde  

  • Karloos, olha lá, isto agora é a sério: eu também nunca me chateio com assuntos de política e alguns dos meus melhores amigos não partilham a minha cor... gosto de trocar umas piadas políticas e interesso-me pelo assunto, mais pelos movimentos alargados do que pelos pormenores (por isso não me lembrava dessa muito lamentável frase do Soares). Politicamente, o PS sempre foi uma péssima casa para as mulheres, excepto se forem boas cozinheiras. O PS tem sido poleiro de homens, ao contrário do PSD, que colocou no governo mais mulheres que qualquer outro governo, justiça lhe seja feita. E isso, para mim, foi prestar um bom serviço ao Estado, ao progresso, à Modernidade. Mesmo assim, nunca votei, até hoje, à direita do PS (partido que, na minha opinião, deixou de estar à esquerda)!
    Existem no PS algumas mulheres capazes com excelente acção política, mas de bolinha baixa, desmentidas quando abrem a boca. Ou desvalorizadas, entendes, mas que são profundamente honestas no que fazem. Nessas, votaria.
    Havia uma hipótese de votar no PSD, a qual não me parece excluída futuramente. Também não posso dizer isto alto, mas pronto, olha, lá vai: eu gosto da Manuela Ferreira Leite. Pois, não sei quê e mais não sei quê, é dura, pintem-na como quiserem... a mulher é de uma competência inatacável, eu confio nela, considero-a honestíssima e com ela... enfim... tremendo muito, talvez lá pusesse a cruzinha.
    Na verdade, o que a mim me interessa, em política, são as pessoas que a fazem, as ideias que defendem, a forma como as defendem: eu nunca seria apoiante do Paulo Portas, nunca, fosse qual fosse a sua cor política... e este nunca é daqueles que eu sei que posso dizer, porque dessa água não poderia beber.
    Não ando a escrever nada. Ando sem tempo. Ando a aguentar o blog! e o curioso é que as visitas aumentaram. Tenho de voltar à parte 2 daquele texto... :))

    By Blogger Isabela, at quinta-feira, novembro 17, 2005 9:52:00 da tarde  

  • Pensei que te tinhas esquecido :)

    By Blogger CGP, at quinta-feira, novembro 17, 2005 11:06:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home