Licenciosidades

Qualquer bocadinho acrescenta, disse o rato, e mijou no mar.

"Não é da bondade do homem do talho, do cervejeiro ou do padeiro que podemos esperar o nosso jantar, mas da consideração em que eles têm o seu próprio interesse. Apelamos, não para a sua humanidade, mas para o seu egoísmo, e nunca lhes falamos das nossas necessidades, mas das suas vantagens"

Adam Smith (1776), Riqueza das Nações

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Os monstros


Se a economia não cresce, a culpa não é de Sócrates. É, em primeiro lugar, dos empresários.


Mário Soares ao Diário Económico (sem link)

Primeiro que tudo, é bom ouvir alguém de esquerda admitir que o motor da economia são, e devem ser, os empresários. Equivoca-se numa coisa*: ninguém mais que o sector empresarial está interessado no crescimento da economia e são eles os que mais trabalham para isso. Os empresários investem, fazendo crescer a economia, até o último euro investido render 1.01 euros. Haja condições institucionais para alargar esse limite de rentabilidade, e a economia crescerá mais. A culpa da economia não crescer não é dos empresários, é de quem faz com que este limite seja tão curto, ou seja, o monstro é o estado, não os empresários.
*palavra non gratta para alguns bloggers, aceitam-se sugestões de substituição.