Licenciosidades

Qualquer bocadinho acrescenta, disse o rato, e mijou no mar.

"Não é da bondade do homem do talho, do cervejeiro ou do padeiro que podemos esperar o nosso jantar, mas da consideração em que eles têm o seu próprio interesse. Apelamos, não para a sua humanidade, mas para o seu egoísmo, e nunca lhes falamos das nossas necessidades, mas das suas vantagens"

Adam Smith (1776), Riqueza das Nações

quarta-feira, janeiro 11, 2006

Privatizar as praias? (4)

Os privados seriam directamente responsabilizados pela segurança nas praias.

3 boas festas:

  • Pois, como nos parques de estacionamento: "não nos responsabizamos pelo desaparecimento dos objectos deixados no interior do veículo".
    Vais ao cinema, a um concerto, pagas bilhete, roubam-te a carteira. Rsponsabilizas o dono do cinema, o organizador do concerto?
    Não será o sistema de segurança que deve melhorar?

    By Blogger Isabela, at quarta-feira, janeiro 11, 2006 11:51:00 da tarde  

  • se vais a um cinema e roubam-te a carteira, não voltas àquele cinema. Tu e os 30 amigos a quem vais contar mais as 500 pessoas que lêem o teu blog. Se forem roubadas 10 carteiras, são 300 amigos que não vão e o dono do cinema perde dinheiro. Ou seja, o dono do cinema tem interesse em zelar pela tua segurança. Se o cinema fosse público, o responsável do cinema tinha interesse em perder utentes. Quanto menos utentes, menos trabalho e chatices teria,mantendo o mesmo salário.

    By Blogger CGP, at quinta-feira, janeiro 12, 2006 12:08:00 da manhã  

  • Tens uma ideia muito má do funcionalismo público. Um bom funcionário será bom quer seja público, quer privado. O mesmo para os maus. Tenho experiências boas e más dos 2 lados. Já fui bem e mal tratada dos dois lados. As coisas não são assim tão literais, Karloos, não tens os privados perfeitos e os públicos imperfeitos, tal como nem todos ciganos roubam, nem todos os alunos aflitos copiam...

    By Blogger Isabela, at quinta-feira, janeiro 12, 2006 12:19:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home