Licenciosidades

Qualquer bocadinho acrescenta, disse o rato, e mijou no mar.

"Não é da bondade do homem do talho, do cervejeiro ou do padeiro que podemos esperar o nosso jantar, mas da consideração em que eles têm o seu próprio interesse. Apelamos, não para a sua humanidade, mas para o seu egoísmo, e nunca lhes falamos das nossas necessidades, mas das suas vantagens"

Adam Smith (1776), Riqueza das Nações

terça-feira, maio 16, 2006

Liberdade, moral e democracia

Num país, Portugalistão, existem três questões morais que se relacionam com liberdades individuais. Chamemos A - Consumo de drogas, B- Prostituição e C- Sexo oral. Quando questionados sobre a sua opinião em relação a estas questões, 65% dos portugalistaneses disseram que estavam contra o consumo de drogas, 60% contra a prostituição e 55% contra o sexo oral. Um legislador brilhante lembrou-se que uma vez que a maioria dos portugalistaneses está contra estas três matérias, devemos criminalizá-las a todas, passando para o direito a matriz moral da maioria da população.
O que é que aconteceu? Apesar de em cada matéria haver uma maioria absoluta de vontades convergentes, será de esperar que apenas 21.45% das pessoas concordem em criminalizar as 3 matérias. Ou seja, será de esperar que 78,55% das pessoas vejam a sua liberdade individual atingida.

22 boas festas:

  • "de em cada matéria haver uma maioria absoluta de vontades convergentes, será de esperar que apenas 21.45% das pessoas concordem em criminalizar as 3 matérias. Ou seja, será de esperar que 78,55% das pessoas vejam a sua liberdade individual atingida."

    On the contrary, julgo que sera' de esperar uma forte correlacao positiva entre as tres atitudes anti-liberalizacao, pelo que a interseccao das tres devera' ter um valor proximo da menor delas, que e' 55%.

    Isto e' um argumento puramente tecnico, que nao invalida o ponto do post, com o qual concordo (embora note que a questao do "sexo oral" e' um pouco estranha, dado ser exclusivamente do foro privado, admitindo que nao se trata de fazer sexo oral em publico).

    By Anonymous Anónimo, at terça-feira, maio 16, 2006 6:37:00 da tarde  

  • "embora note que a questao do "sexo oral" e' um pouco estranha, dado ser exclusivamente do foro privado"

    Fumar um charro é do "foro público" desde quando?

    By Blogger Migas, at terça-feira, maio 16, 2006 6:48:00 da tarde  

  • "Fumar um charro é do "foro público" desde quando?"

    Se o charro for fumado na rua, e' do foro publico, tal como andar nu na rua e' do foro publico, mesmo que as pessoas nao tenham de olhar para quem vai nu.

    By Anonymous Anónimo, at terça-feira, maio 16, 2006 6:49:00 da tarde  

  • "sera' de esperar uma forte correlacao positiva entre as tres atitudes anti-liberalizacao, pelo que a interseccao das tres devera' ter um valor proximo da menor delas, que e' 55%"
    Porque será de esperar que as pessoas que aprovam o sexo oral também aprovem a prostituição? Eu utilizei estas três liberdades, mas pode escolher outras, defendidas por quadrantes políticos opostos.

    By Blogger CGP, at terça-feira, maio 16, 2006 7:00:00 da tarde  

  • ""sexo oral" e' um pouco estranha, dado ser exclusivamente do foro privado"
    Também o são as outras duas. Só dizem respeito a quem as practica, não envolvem terceiros.

    By Blogger CGP, at terça-feira, maio 16, 2006 7:01:00 da tarde  

  • "Porque será de esperar que as pessoas que aprovam o sexo oral também aprovem a prostituição? Eu utilizei estas três liberdades, mas pode escolher outras, defendidas por quadrantes políticos opostos."

    Ha' uma diferenca entre "nao condenar" e "aprovar". O que o texto refere sao as percentagens de pessoas que *activamente* sao contra, e e' ai que julgo que deve haver alguma correlacao positiva.

    Quanto 'as outras praticas serem privadas: eu concordo, mas tento por-me dum ponto de vista mais imparcial. Quer as drogas, quer a prostituicao, a existirem, existem "la fora", no espaco publico, 'a vista de todos ou de alguns. Ou seja, quem nao concorde com eles pode ser exposto 'as duas categorias. No entanto, o sexo oral, entendido entre adultos, apenas se passa no espaco privado, pelo que esta' numa categoria (de "exposicao", se quisermos) diferente.

    By Anonymous Anónimo, at terça-feira, maio 16, 2006 7:06:00 da tarde  

  • O que me impede de me prostituir e tomar drogas no mesmo local, com a mesma privacidade, com que practico sexo oral?

    By Blogger CGP, at terça-feira, maio 16, 2006 7:10:00 da tarde  

  • É por causa dessas e de outras que uma Constituição orientada por princípios liberais deveria proibir explicitamente o poder de legislar sobre matérias cuja influência se restrinja à liberdade negativa individual.

    By Blogger JLP, at terça-feira, maio 16, 2006 7:47:00 da tarde  

  • "O que me impede de me prostituir e tomar drogas no mesmo local, com a mesma privacidade, com que practico sexo oral?"

    A questao esta' posta ao contrario. A pergunta deveria ser "E' ou nao expectavel que, sendo permitidas essas condutas, que a prostituicao e o consumo de drogas tenham ou nao uma visibilidade publica, eventualmente conducente ao desagrado de alguns?". Isso nao acontece (a nao ser num acto de loucura ou exibicionismo puro) com o sexo oral. Nao percebo a dificuldade em aceitar tao pequena distincao...

    By Anonymous Anónimo, at terça-feira, maio 16, 2006 9:32:00 da tarde  

  • Gostei da análise e do blog. Parabéns. E adorei essa dos portugalistaneses!

    By Anonymous Ortogal, at terça-feira, maio 16, 2006 11:29:00 da tarde  

  • "É por causa dessas e de outras que uma Constituição orientada por princípios liberais deveria proibir explicitamente o poder de legislar sobre matérias cuja influência se restrinja à liberdade negativa individual."

    Subscrevo.

    E bom post...

    By Blogger Ricardo, at quarta-feira, maio 17, 2006 10:19:00 da manhã  

  • Ricardo, por essas e por outras é que penso que és um grande candidato a futuro ex-membro do MLS.

    By Blogger CGP, at quarta-feira, maio 17, 2006 12:16:00 da tarde  

  • Carlos,

    Aproximei-me do MLs quando soube da existÊncia do movimento e depois de ter uma conversa com o Miguel Duarte, a quem, volto a dizer dou bastante valor.

    Afastei-me do MLS quando percebi que:

    1. Não me revia nas posições de muitos dos seus militantes

    2. Não me revia na estratégia baseada na publicidade estilo Bloco de esquerda

    3. Não me revia nas prioridades do movimento ao nível das políticas a serem publicitadas (associado ao ponto 2)

    Isto que estou a escrever, disse-o ao Miguel Duarte.

    Dito isto, mesmo que não tenha participado em nenhuma reunião MLS, tenho comentado algumas postas no speakers corner, e, recentemente, pus lá algumas postas. É um dos méritos do MLS, permitir a não dirigentes ou não alinhados o colocarem as suas postas no seu fórum.

    Em conclusão, assumidamente, partilho das ideias expostas na carta de princípios do Movimento, pelo que, enquanto as posições formais do moimento não forem contraditórias nao mesmo, não devo deixar de fazer parte da lista de militantes. Quanto a ter outro tipo de papel é necessário mais que isto, seria necessário mudar os pontos acima. Se os tentasse mudar eu, com uma atitude mais activa, acredito não só ser votado ao fracasso, como tambem ser mais provável ser excluido de militante do que conseguir a mudança.

    abraço,

    Ricardo

    By Blogger Ricardo, at quarta-feira, maio 17, 2006 2:58:00 da tarde  

  • A minha vénia a este post.

    By Blogger Pedro Santos Cardoso, at quinta-feira, maio 18, 2006 12:46:00 da manhã  

  • Caro Karloos,

    Concordo em princípio com a "moral" da exposição, que aplaudo.

    Mas não precisamente com o seu princípio: que comportamentos morais possam ser criminalizados pelo Estado em nome da "sociedade". Com maioria simples, absoluta, total - 1, ou total.

    Relativamente à conclusão matemática, o método também pode ser discutido para além de um tratamento puramente probabilístico.

    Se "contras" são C=55% e B=60%, pode ser que os "contras" simultaneamente C _e_ B sejam 15% — deixa 85% de população a favor de um ou de outro (ou ambos) temas fracturantes).

    "Contras" A são 65%, o que quer dizer que é possível que 0% da população esteja contra os três temas em simultâneo.

    Este é o worst case scenario para a liberdade (100% da população ver a sua liberdade restringida por questões "morais").

    O caso menos mau é quando há maximização do número de pessoas que estão contra os três temas em simultâneo— 55%, ou seja, "só" 45% das pessoas vêm a sua liberdade restringida.

    Sociedade livre?

    By Blogger AA, at domingo, maio 21, 2006 12:11:00 da tarde  

  • Caro AA,

    Para ficar claro, eu discordo que comportamentos morais possam ser criminalizadas, ou de alguma forma legusladas, pelo estado. O post visa demonstrar a incoerência de quem o defende com base em argumentos "democráticos".

    By Blogger CGP, at domingo, maio 21, 2006 12:44:00 da tarde  

  • Plenamente de acordo! :)

    By Blogger AA, at domingo, maio 21, 2006 9:05:00 da tarde  

  • Nice idea with this site its better than most of the rubbish I come across.
    »

    By Anonymous Anónimo, at terça-feira, julho 18, 2006 1:38:00 da manhã  

  • Greets to the webmaster of this wonderful site. Keep working. Thank you.
    »

    By Anonymous Anónimo, at quarta-feira, julho 19, 2006 8:46:00 da tarde  

  • I find some information here.

    By Anonymous Anónimo, at quinta-feira, julho 20, 2006 8:00:00 da tarde  

  • Here are some links that I believe will be interested

    By Anonymous Anónimo, at segunda-feira, agosto 07, 2006 1:49:00 da tarde  

  • I'm impressed with your site, very nice graphics!
    »

    By Anonymous Anónimo, at quinta-feira, agosto 17, 2006 6:00:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home